• Site
  • Twitter
  • FB
  • Tumblr
  • Inst
  • Youtube

Quem somos

Livros de papelão


Nossa história

Em 2014 montamos a Magnolia Cartonera, a editora do blog Bibliotecas do Brasil para publicar os diversos títulos que temos em mente.

Escolhemos o nome Magnolia Cartonera pelo simbolismo da flor de magnólia que representa perseverança, e é a nossa motivação para publicar livros independentes com recursos próprios. Com a fundação da Magnolia Cartonera conseguimos partilhar com mais pessoas nossas ideias e experiências, nossas criações e histórias. Na Magnolia Cartonera nossos livros são produzidos de forma sustentável, praticando a reciclagem e com qualidades criativas, artesanais e artísticas que fazemos com toda a nossa dedicação e habilidades para tornar a experiência da leitura ainda mais especial para nossas leitoras e leitores.

Magnolia Cartonera Loja

Autores

Daniele Carneiro

Daniele Carneiro

Juliano Rocha

Juliano Rocha

NOSSA HISTÓRIA

Como chegamos aqui


Eventos

  • 2016

    Inauguramos a Loja Bibliotecas do Brasil

    Em 2016 inauguramos uma loja online para facilitar a compra de nossas criações.

  • 2014

    Fundamos a Magnolia Cartonera

    Em 2014 montamos a Magnolia Cartonera, nossa editora para publicar os diversos títulos que temos em mente.

  • 2014

    Conhecemos os livros cartoneros em Porto Alegre

    Em maio de 2014 tivemos a oportunidade de entrar em contato com o movimento cartonero em uma viagem a Porto Alegre. Os livros cartoneros são feitos com capas de papelão reutilizado, onde autora(e)s, poetas e artistas publicam suas criações a partir de um processo de encadernação artesanal, com o menor custo possível de produção e venda.

  • 2013

    Criamos a ação Leia, Empreste ou Devolva

    Criada em setembro de 2013 a iniciativa voluntária 'Leia,Empreste ou Devolva' do blog Bibliotecas do Brasil tem como objetivo facilitar as atividades das pessoas que querem montar bibliotecas livres ou realizar ações de partilha de livros. Nós oferecemos gratuitamente recursos visuais e um tutorial para montagem de bibliotecas que podem ser baixados no site e impressos para utilização.

  • 2012

    Criamos o blog Bibliotecas do Brasil

    O blog Bibliotecas do Brasil foi criado em 2012, a partir da nossa vontade de divulgar ações simples, porém encantadoras de pessoas das mais variadas regiões do Brasil e do mundo. No blog divulgamos bibliotecas livres e comunitárias, projetos e ações independentes de partilha de livros, além de lançamentos de livros de pessoas envolvidas com esses projetos. As bibliotecas públicas e privadas que conhecemos ao longo desses anos, e que têm um comprometimento legítimo com a comunidade, e criatividade em trazer leitores para dentro de seus espaços também são divulgadas em nosso site.

  • 2012

    Criamos a Biblioteca Comunitária do Sítio Vanessa

    Entre os anos de 2011 e 2014 ajudamos a fundar e manter a Biblioteca Comunitária Sítio Vanessa, uma biblioteca livre na área rural de Morretes, Serra do Mar do Paraná.

Livros lançados

  • 2016

    Bibliotecas Mudam o Mundo Daniele Carneiro e Juliano Rocha

    Suas páginas trazem exemplos inovadores e também ações simples de bibliotecas capazes de causar impacto social positivo em suas comunidades. Ao entramos em contato e partilharmos esses exemplos inspiradores de bibliotecas que estão fazendo inovações desde as mais simples até as mais arrojadas para atender da melhor forma possível todos os públicos, incentivamos muitas outras bibliotecas, projetos de incentivo à leitura, ações de partilha de livros e centros culturais a valorizar seus espaços e buscar o aperfeiçoamentos de ideias e de ações.

  • 2016

    Eles Chegaram!/No Terminal Juliano Rocha

    São 2 livros em 1, um conto com 12 ilustrações de página inteira sobre um diálogo em um mundo pós-apocalíptico e um quadrinho sobre os diversos mundos que se encontram em nossas viagens diárias pelos transportes coletivos.

  • 2016

    Guia Prático para Bibliotecas Comunitárias Daniele Carneiro

    O 'Guia Prático para Bibliotecas Comunitárias' tem 6 capítulos com 100 páginas + 2 posters internos com conteúdos inéditos, que funcionam como ferramentas para que as pessoas possam começar as suas bibliotecas comunitárias autogeridas e independentes. O conteúdo do livro também é dedicado às pessoas que já começaram uma biblioteca, bibliotecas escolares e aquelas que querem retomar ou dar continuidade aos seus projetos e atividades de incentivo à leitura.

  • 2015

    Ideias para bibliotecas livres Daniele Carneiro e Juliano Rocha

    'Ideias para bibliotecas livres' funciona como um manual prático que permite a quem o ler transformar a vontade de criar uma biblioteca livre ou ação de incentivo à leitura em realidade. O livro tem 11 capítulos, com 88 páginas + 2 posters internos com vários conteúdos inéditos que funcionam como ferramentas para que as pessoas possam começar as suas bibliotecas livres hoje mesmo.

  • 2014

    Cartonera Bibliotecas do Brasil Daniele Carneiro e Juliano Rocha

    Cartonera Bibliotecas do Brasil é o primeiro livro publicado pelo blog Bibliotecas do Brasil. O livro possui 80 páginas com textos dos editores do blog, Daniele Carneiro e Juliano Rocha, além de conter ilustrações do Juliano nas páginas internas. Foram selecionados textos de nossa newsletter Bibliotecas do Brasil Inbox e junto a eles foi adicionado um texto inédito de cada autor.

Números da Magnolia Cartonera

livros ecológicos
817
livros vendidos e contando
livros únicos e numerados
26
estados já receberam cartoneras
Presente em bibliotecas americanas e inglesas
161
cidades receberam cartoneras

NOSSOS LIVROS

Livros cartoneros


domingo, 19 de janeiro de 2020

Librarian holds a cardboard book workshop for children in the Amazon Rainforest, Acre, Brazil


To our friends who read in English: We have published an article telling about the initiative of librarian Ana Paula Cravo Obeltz who ran a cartonera workshop (cardboard books) for about 60 children and teenagers living in an isolated community in the Amazon Rainforest in the state of Acre (Brazil) accessible only by boat.

The boat trip takes 7-10 hours. Children have learned to make books with cardboard covers addressing very important environmental issues that Brazil is facing, such as fires in the Amazon rainforest. 

The article is in Portuguese, but the photos tell a lot. We recommend using Google Translate for anyone who wants to get an idea of what the cardboard book workshop was like. This article is part of the "Cartoneras Populares Project" of our indie publisher Magnolia Cartonera

Click here and read the article

Article: Daniele Carneiro (Magnolia Cartonera)
Arte: Juliano Rocha

contato@bibliotecasdobrasil.com
01/19/2020

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

Bibliotecária realiza Oficina Cartonera no Vale do Juruá, Amazônia Acreana


'Cartoneras Populares' é a iniciativa multicultural da Magnolia Cartonera e do blog Bibliotecas do Brasil para ampliar o conhecimento das pessoas que são apaixonadas por incentivo à leitura, por bibliotecas, pela educação, pelo conhecimento partilhado, pelas artes e pela cultura, sobre as técnicas artesanais simples e práticas de publicação de livros com capas de papelão. Esse é o primeiro artigo do projeto que terá longa duração e será realizado durante todo o ano de 2020. 
Sempre foi o nosso desejo ampliar o conhecimento das pessoas sobre como é maravilhoso fazer livros com capas de papelão. 'Cartoneras Populares' teve impulso com o lançamento do nosso livro 'Sobre Livros Cartoneros' em agosto de 2019. Nós passamos os últimos 5 meses pesquisando, conhecendo e entrando em contato com várias pessoas que têm ideias semelhantes às nossas para lançarmos essa iniciativa de popularização da arte cartonera no Brasil. Para conhecer o projeto na íntegra leia esse post


Essa primeira matéria é uma parceria entre a Magnolia Cartonera, o blog Bibliotecas do Brasil e a bibliotecária Ana Paula Cravo Obeltz que atualmente mora em Cruzeiro do Sul no Acre. Esperamos que este artigo ofereça às nossas leitoras e leitores uma visão das oficinas realizadas para a confecção de cartoneras na Amazônia Acreana, e também ofereça a possibilidade de que mais pessoas se familiarizem com a encadernação artesanal cartonera de livros feitos com capas de papelão. A matéria foi escrita por Daniele Carneiro, com informações e fotos coletadas com a bibliotecária Ana Paula Cravo Obeltz e arte de Juliano Rocha

Foto: A professora Marluce Oliveira e a bibliotecária Ana Paula Cravo ensinam as crianças da Amazônia Acreana a fazer cartoneras com papelão, tinta guache, pincéis e as próprias mãos para criar arte em meio à natureza

De vez em quando surge uma oportunidade de fazer algo diferente e fora do convencional e nós precisamos nos abraçar com essas oportunidades, principalmente quando elas são em benefício de pessoas para quem a sociedade fechou os olhos, deseja esquecer, não leva em consideração e oprime negando seus direitos. E um desses momentos que a bibliotecária Ana Paula Cravo se deparou em sua vida, foi gerar a oportunidade de levar as cartoneras, esses livros tão criativos confeccionados com capas de papelão, para crianças, adolescentes e pessoas de todas as idades que vivem em uma comunidade ribeirinha na Floresta Amazônica. Essa é uma oportunidade incrível de colocar as crianças em contato com a criação artística e com a possibilidade real de que elas podem sim, criar seus livros por conta própria. Além de despertá-las para o fato de que elas podem ser responsáveis por contar e registrar as suas próprias narrativas de vida, escrevê-las, ilustrá-las e publicá-las através dos livros artesanais feitos com capas de papelão, uma matéria prima tão abundante no Brasil. Ter a natureza e o contato humano unidos nessa oportunidade de criação artística tornou esse momento ainda mais especial.

Há alguns meses, através do Instagram da Magnolia Cartonera, conhecemos a bibliotecária Ana Paula Cravo Obeltz do IFAC - Instituto Federal do Acre, que trabalha no campus da cidade de Cruzeiro do Sul. Ela conheceu as nossas cartoneras - livros artesanais feitos com capas de papelão - através do canal que mantemos no YouTube, onde desde 2015 partilhamos as etapas práticas do nosso processo de confecção e encadernação dos livros feitos com capas de papelão. Logo que conhecemos a Ana Paula, nós começamos a conversar sobre os livros cartoneros e trocamos ideias sobre materiais, tintas e sobre a confecção das capas de papelão. A Ana Paula então nos contou sobre os seus projetos para realizar oficinas cartoneras dentro do IFAC para alunos, alunas, professores e funcionários da instituição e também numa comunidade ribeirinha na Amazônia, no Parque Nacional da Serra do Divisor:

"Eu tomei posse como bibliotecária em julho de 2019 no IFAC e logo entrei em um grupo de estudos sobre educação ambiental, e estava idealizando um projeto de extensão com os povos da floresta com  o uso das cartoneras. Por isso entrei em contato com vocês da Magnolia Cartonera. E acabei sendo convidada para aplicar neste projeto, que consiste em trabalhar a educação ambiental nas escolas da Serra do Divisor aqui no Acre, que é uma Unidade de Conservação, um local que não tem luz elétrica nem internet mas tem muitas crianças para serem atendidas".

Foto: crianças e adolescentes da Escola Rural Municipal Josefa de Queiroz na comunidade Pé da Serra em Mâncio Lima no Acre

"A proposta inicial era fazer cartoneras com a comunidade. Tínhamos cartilhas com temas de desmatamento, recursos hídricos, fauna e flora, incêndios e queimadas. E acabei por propor de usar a mesma técnica cartonera nessas publicações. A primeira oficina foi realizada em outubro de 2019 com os 8 bolsistas do meu grupo de estudos mais 2 coordenadores no IFAC. Mas durante a pintura, outras pessoas viram a oficina acontecendo e pediram para participar. Foi muito lindo! E a oficina continuou no dia seguinte. Foi um sucesso, todos amaram!"


Foto: A primeira oficina cartonera realizada pela bibliotecária Ana Paula Cravo Obeltz ocorreu no IFAC - Instituto Federal do Acre entre alunos, alunas, bolsistas, coordenadores e funcionários. Cartilhas com temas de preservação ambiental foram encadernadas no estilo cartonero, com capas de papelão para serem levadas para as crianças da Serra do Divisor aprenderem a fazer também.

Oficina Cartonera na Serra do Divisor, Amazônia

Na foto: professora Marluce e a bibliotecária Ana Paula com as crianças da Serra do Divisor na Amazônia Acreana. A caixa de papelão foi transformada em uma tela para pintura, e em seguida ela será transformada em capas de livros cartoneros.

Entre os dias 23 e 26 de outubro de 2019, a bibliotecária Ana Paula desenvolveu a ação, a Oficina Cartonera no Vale do Juruá, realizada na Escola Josefa de Queiroz, que é uma escola rural municipal localizada na comunidade ribeirinha Pé da Serra no Acre. A comunidade é isolada e o acesso só é possível através de barco. A Ana Paula nos contou que para chegar até lá, a viagem tem duração de 7 a 10 horas de barco, dependendo do nível das águas do Rio Juruá. Nessa comunidade não tem internet e a energia elétrica só dura algumas horas através de gerador. Ana nos contou:

"O Parque é uma unidade de conservação ambiental, porém existem famílias de ribeirinhos que habitam aquela região. Quando assumi como Bibliotecária no IFAC, cheguei com o intuito de participar de projetos de extensão que trabalhassem com as comunidades indígenas, e trabalhar a parte de registros, visto que os povos indígenas passam sua cultura de forma oral, muitas em registro e idealizei fazer a forma de registro através de cartoneras".


Como foi realizada a Oficina Cartonera na Amazônia Acreana


"A ação foi incrível com a participação dos professores, professoras, alunos e alunas da escola. Apresentávamos uma situação problema sobre os temas das cartilhas ambientais e dávamos um tempo para eles registrarem suas percepções, através do desenho e/ou da escrita, e no último dia realizamos a pintura das papelões com a participação de todos". 


Foto: Pintura cartonera feita pelas crianças da comunidade Pé da Serra no Vale do Juruá, Acre

"O encantamento foi tão grande por parte das professoras, dos professores e da comunidade, que eles nos pediram para retornar com a oficina cartonera".


A oficina cartonera também foi para levar um pouco de alegria e esperança em dias melhores já que as crianças enfrentam uma realidade de isolamento e precariedade.


Ana nos contou: "As crianças da Serra do Divisor não têm cadernos, são poucas mesas e cadeiras na sala, não tem água, nos dias que estávamos lá não tinha merenda escolar. Às vezes falta combustível que é repassado pela prefeitura da cidade que o Parque Nacional da Serra do Divisor faz parte. E as crianças ficam sem aula. Com a falta de mobília, almofadas são usadas para que as crianças possam se sentar na sala de aula. Não existe biblioteca nem sala de leitura. Foi um pedido das professoras, essas crianças precisam de uma biblioteca".

Foto: A Escola Josefa de Queiroz na localidade de Mâncio Lima, no Parque Nacional da Serra do Divisor e o posto de saúde da comunidade logo ao lado. Para chegar à comunidade é preciso fazer uma viagem de 7 a 10 horas de barco.



Foto: Algumas das pessoas incríveis que fizeram esse dia tão bacana acontecer e as cartilhas cartoneras

Além da bibliotecária Ana Paula Cravo, também realizaram a oficina cartonera os coordenadores Wesley de Souza e Marluce Oliveira, os bolsistas Cleisson Lima, Eduardo Marçal, Leticia Oliveira, Maria Antônia Oliveira e Uiliane Pinheiro. A oficina teve a participação da comunidade escolar ribeirinha com 62 alunas e alunos do 1º ao 9º ano, 3 professoras, 1 servente da escola e 2 barqueiros, além de todas as pessoas que moravam próximas e foram chegando para acompanhar as atividades, lotando as janelas da escola.


Toda a comunidade se encantou com a Oficina Cartonera

Foto: Crianças na escola e os vizinhos nas janelas participando da oficina cartonera

A atividade foi proposta para ocorrer com as crianças e adolescentes da Escola Josefa de Queiroz, mas como a bibliotecária Ana Paula nos contou, toda a comunidade se envolveu de alguma forma com a oficina.

"Foi muito interessante, pois o barqueiro que nos acompanhava era super prestativo e queria participar. Também os vizinhos da escola começaram a chegar, ficaram nas janelas observando, um morador que estava de barqueiro nos 2 dias, veio falar comigo algumas vezes, todo emocionado, com os olhos cheios de lágrimas, agradecer pelo trabalho e falar que achou incrível a ideia das cartoneras, fez muitos elogios. Aí eu disse que ia deixar na pousada uma cartonera para ele. Ele me abraçou e disse que ia mostrar em casa para os filhos e para a esposa, que ia mostrar para todo mundo. 


Cartilhas Cartoneras

A Ana Paula faz parte de um grupo de estudos chamado 'Educação Ambiental nas Escolas do Parque Nacional da Serra do Divisor'.

"Estamos reunidos desde junho de 2019. Nossos 5 bolsistas montaram um seminário para discutir alguns temas como resíduos sólidos, recursos hídricos, flora e fauna, queimadas e desmatamento com as crianças. Após cada explanação elas desenhavam ou escreviam para a construção das cartoneras. Nós criamos cartilhas sobre este temas para serem utilizadas em sala de aula. As capas usadas nessas cartilhas foram as que fizemos na nossa oficina no IFAC. Também contruímos placas de sensibilização e lixeiras para a escola e para as pousadas da localidade. 


"As cartilhas foram encadernadas com as capas que fizemos na oficina no IFAC, para os bolsistas, mas vários funcionários quiseram participar e pintaram as capas também e foram encaminhadas para a comunidade, onde mostramos os livros encadernados como exemplo para as crianças. 
O conteúdo que foi criado na Serra do Divisor junto com as crianças será trabalhado em formato cartonera pelo grupo, mas a capa será feita com as pinturas das crianças. Foi muito interessante, pois cortamos as bordas das caixas e deixamos eles livres para pintar como se o papelão fosse uma grande tela de pintura e elas criaram livremente. A alegria e participação foi tamanha que eles pintavam cada pedaço de papelão que encontravam. Eu trouxe todo o material de volta para Cruzeiro do Sul e minha idéia é fazer bloquinhos e também uma exposição cartonera, quando tivermos a mostra do grupo de estudos".


Doação de material escolar para as crianças da Amazônia Acreana

Como a bibliotecária Ana Paula nos contou, as condições estruturais são muito precárias na Escola Josefa de Queiroz em Mâncio Lima, e os projetos de educação ambiental do IFAC com as crianças terão continuidade em 2020. E será extremamente benéfico para essa comunidade receber doações de material escolar novo, que será levado para as alunas e alunos da Serra do Divisor pela Ana Paula via IFAC. Se você tem material escolar para doar, livros infantis e tem condições de enviá-los pelo correio, entre em contato com a bibliotecária Ana Paula Cravo Obeltz através do email ana.obeltz@ifac.edu.br





Arrecadação de livros infantis e infanto-juvenis

Se você é uma escritora ou escritor infantil ou infanto-juvenil ou editora com livros para doar, entre em contato com a bibliotecária Ana Paula para enviar seus livros para essas crianças. Os materiais precisam ser novos ou estar em excelentes condições de uso, pois serão entregues diretamente para as crianças que já enfrentam uma realidade de não ter quase nada. É o nosso desejo que elas recebam apenas materiais novos e em excelentes condições de uso pois é o que elas precisam e merecem.

Elas precisam de:
— Livros infantis, cadernos, lápis de cor, canetinhas, papel sulfite, giz de cera, tinta guache, pincéis, e tudo o que for relacionado a material escolar para uso em sala de aula e em aulas de pintura.

Precisamos dedicar a nossa atenção e o nosso carinho para as realidades rurais e periféricas do Brasil que têm tantas crianças sem acesso ao mais básico, que estão sem acesso ao que é inquestionavelmente garantido na vida de muitas pessoas. Para todas as pessoas que podem se juntar a essa iniciativa e ajudar essas crianças a terem uma vida escolar mais confortável e melhor estruturada, colabore enviando algum material, livros infantis ou voltados para o público adolescente para a bibliotecária Ana Paula. Ela fará esse material chegar às mãos das crianças de Mâncio Lima na Serra do Divisor. Novamente o email para contato com a bibliotecária: ana.obeltz@ifac.edu.br

Se você não pode ajudar com materiais ou livros, colabore partilhando esse artigo com mais pessoas, para que as necessidades das crianças da Serra do Divisor no Acre sejam conhecidas por mais pessoas, e possamos gerar oportunidades de colaboração por parte daqueles que podem fazer a ajuda material chegar até elas.

*


Sobre Livros Cartoneros




Sobre Livros Cartoneros’ de Daniele Carneiro e Juliano Rocha, partilha a técnica de encadernação artesanal prática e simples da Magnolia Cartonera, e as etapas necessárias para transformar seus textos em um livro autopublicado, com capas feitas de caixas de papelão reutilizado. Neste livro nós elaboramos de forma escrita e ilustrada através de um poster duplo, todas as etapas de confecção dos livros artesanais feitos pela Magnolia Cartonera. O livro já está disponível em nossa loja online. Clique aqui para comprar. Apoie o trabalho de autoras e artistas independentes. Essa matéria  foi escrita e organizada por um casal de autores e artistas independentes. Visite nossa loja.

Matéria: Daniele Carneiro (Magnolia Cartonera | Blog Bibliotecas do Brasil)
Fotos: Cedidas pela bibliotecária Ana Paula Cravo Obeltz
Artes: Juliano Rocha (Magnolia Cartonera| Blog Bibliotecas do Brasil)
Email: contato@bibliotecasdobrasil.com

— Se você é uma pessoa revolucionando o mundo através de iniciativas como as mostradas nesta matéria, entre em contato com a gente através do email contato@bibliotecasdobrasil.com nos contando o que você faz, com muitas fotos e detalhes das suas ações :)

sábado, 11 de janeiro de 2020

Faça seu próprio livro cartonero


A Magnolia Cartonera deseja ampliar o conhecimento do público sobre a arte artesanal da confecção de livros com capas de papelão. "Sobre Livros Cartoneros" é um trabalho inédito, que tem como objetivo fornecer as ferramentas e o conhecimento necessários para que novos artistas, escritoras e escritores possam se autopublicar de maneira independente.

Sejamos realistas, nem todas as pessoas que desejam escrever, ilustrar e publicar livros têm o privilégio de ter um coletivo à sua disposição. Assim como nós, muitos estão em seus cantos do mundo tentando um jeito de expressar suas artes. Muitas pessoas com um potencial artístico enorme estão sozinhas, sem apoio e sem motivação para começar.

Foi pensando nessas pessoas que desenvolvemos e escrevemos esse livro, para ajudá-las a caminhar por conta própria de encontro a expressão genuína de suas artes, de acordo com sua total liberdade artística e criatividade. Esses são alguns dos tópicos do livro, mas dentro dele existem muito mais capítulos sobre assuntos relevantes:

- Escrita das cartoneras
- Coleta de papelão
- Todas as etapas de confecção: coleta, corte, impressão, montagem, perfuração, encadernação (costura)
- Materiais necessários (onde comprar, quais materiais usar, como utilizar recursos próprios
- Orçamento, geração de renda
- Criatividade
- Dicas de segurança
- Poster ilustrado com artes que mostram como fazer a costura
- E muito, muito mais!


'Sobre Livros Cartoneros' é de autoria de Daniele Carneiro e Juliano Rocha, criadores do blog Bibliotecas do Brasil e da Magnolia Cartonera. O livro está em sua primeira edição com alguns exemplares ainda disponíveis em nossa loja online. Preço: R$30 + R$5 de frete para todo o Brasil. Não espere acabar, garanta o seu exemplar.

Cartoneras Populares: é a iniciativa multicultural da Magnolia Cartonera e do blog Bibliotecas do Brasil para incentivar o conhecimento e a popularização da arte cartonera no país. Estamos colocando esse projeto em andamento como uma extensão natural do trabalho que começamos a desenvolver com a publicação de 'Sobre Livros Cartoneros', para popularizar os livros confeccionados artesanalmente com capas de papelão. E para ampliar o conhecimento do público em geral sobre as técnicas de como criá-los, desenvolvê-los e confeccioná-los. Leia mais sobre o projeto aqui.

contato@bibliotecasdobrasil.com

Fotos: Daniele Carneiro
Arte: Juliano Rocha

sábado, 4 de janeiro de 2020

Magnolia Cartonera Cardboard Books - Happy 2020!


This year at Magnolia Cartonera cardboard books, we will publish some things here written in English to take our art across borders. We have a very strong connection with English speaking artists and friends, and we feel the need to deepen our conversations.

We have 14 publications, being 6 cartonera books (cardboard books) and 8 zines. All of them are dedicated to encouraging reading and education. They are about art, community libraries, little free libraries, DIY, technology and People Power. We’ve published only one fiction book. That's why we are inspired to experiment with fiction in 2020. We are looking forward to launching them later this summer (here em Brazil, winter in the northern hemisphere). By March/2020 we will have some interesting news.

We want to extend conversations about cardboard books and indie publications to people who are systematically excluded from the mainstream world of literature and arts. And we want to help people who are low-income artists learn how to make their own cardboard books and circulate their art with the resources they have at hand. We are also working to popularize cartonera art (the art of making cardboard books) in Brazil, writing articles about emerging artists. Artists who connect to our idea of empowering people who are struggling financially. We want to encourage people to express their arts and encourage income generation through artistic creations made of cardboard.

We want systematically excluded people to have access to the resources needed to create their art, books, and literature and to be able to make their works circulate among those who need them the most. This initiative is called "Cartoneras Populares" which is our long-term project that was presented on our blog in December of 2019. ( http://bit.ly/2t3Bg22 )

Thank you so much if you read this huge text so far.
We are constantly learning and happy to be able to do our art and inspire more people along the way. We wish you a new year full of creative projects.


Dani e Juliano

contato@bibliotecasdobrasil.com

Instagram: @magnoliacartonera | @bibliotecas
Blog Bibliotecas do Brasil: http://www.bibliotecasdobrasil.com/

quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

Cartoneras Populares - Popularização dos livros cartoneros no Brasil



'Cartoneras Populares' é a iniciativa multicultural da Magnolia Cartonera e do blog Bibliotecas do Brasil para incentivar o conhecimento e a popularização da arte cartonera no país. Estamos colocando esse projeto em andamento como uma extensão natural do trabalho que começamos a desenvolver com a publicação de 'Sobre Livros Cartoneros', para popularizar os livros confeccionados artesanalmente com capas de papelão. E para ampliar o conhecimento do público em geral sobre as técnicas de como criá-los, desenvolvê-los e confeccioná-los. 

'Cartoneras Populares' reflete o desejo da Magnolia Cartonera de ampliar o conhecimento das pessoas que são apaixonadas por incentivo à leitura, por bibliotecas, pela educação, pelo conhecimento partilhado, pelas artes e pela cultura, sobre as técnicas artesanais simples e práticas de publicação de livros com capas de papelão. Sempre foi o nosso desejo ampliar o conhecimento das pessoas sobre como é maravilhoso fazer livros com capas de papelão. Esse projeto teve impulso com o lançamento do nosso livro 'Sobre Livros Cartoneros' em agosto de 2019. Nós passamos os últimos meses pesquisando, conhecendo e entrando em contato com várias pessoas que têm ideias semelhantes com as nossas para lançarmos essa iniciativa de popularização da arte cartonera.

A Magnolia Cartonera é a produção artesanal de livros criada por Daniele Carneiro e Juliano Rocha em 2014 na cidade de Curitiba no Paraná, e que até o presente momento tem 6 livros publicados no formato cartonero e 8 zines, que são pequenas revistas artesanais, publicadas de maneira independente, impressas e depois costuradas à mão por nós. E muitas novas publicações estão por vir.
Nossos livros são baseados na ética do faça você mesma(o), na cultura maker, no incentivo à leitura e na criação de bibliotecas livres, bibliotecas comunitárias e bibliotecas inovadoras que facilitam o acesso aos livros para públicos que são sistematicamente excluídos. Já publicamos um livro híbrido de ficção e um livro de ensaios e em 2020 continuaremos experimentando nessas áreas.





Em 2019 a Magnolia Cartonera lançou o livro “Sobre Livros Cartoneros” para ajudar a democratizar o acesso ao conhecimento sobre as técnicas de confecção das cartoneras, livros feitos à mão com capas de papelão reutilizado. No livro disponibilizamos em seus capítulos várias informações, ferramentas e recursos, baseados em nossas experiências com a Magnolia Cartonera, para que as pessoas compreendam como se faz um livro desde a escrita e seu planejamento, até as etapas práticas que envolvem a coleta das caixas de papelão, depois passam por todas as etapas de confecção. Nele falamos sobre como fazer livros cartoneros com os recursos que cada pessoa tem ao alcance das mãos, a partir de sua própria realidade, condições de vida e situação financeira.





"Projeto Multicultural Cartoneras Populares"


Foto: Daniele Carneiro é escritora independente, artista cartonera e co-criadora da Magnolia Cartonera e do blog Bibliotecas do Brasil junto com Juliano Rocha. Em 2020 realizará o projeto 'Cartoneras Populares' para ampliação do conhecimento sobre os livros cartoneros no Brasil através de diversas colaborações.

Nos últimos anos, ao entrarmos em contato com tantas pessoas através da internet ou pessoalmente, tivemos cada vez mais aguçada a percepção de que os livros cartoneros, apesar de serem conhecidos das pessoas em alguns meios muito específicos, eles ainda são desconhecidos do público em geral. E este é o maior objetivo da Magnolia Cartonera a partir da publicação do livro 'Sobre Livros Cartoneros': — popularizar as cartoneras para um maior público. 


2020

Mulheres, artistas, artesãs, cartoneras, escritoras, editoras, organizadoras, poetas, educadoras

Em 2020 a iniciativa multicultural "Cartoneras Populares" da Magnolia Cartonera e do blog Bibliotecas do Brasil irá impulsionar através da publicação de uma série de artigos, saberes e aprendizados à respeito das publicações cartoneras, através da partilha de experiências com diversas pessoas, editoras e coletivos que se relacionam com as nossas ideias. Essa é a nossa iniciativa para ampliar o conhecimento da população brasileira sobre o trabalho das pessoas que estão se dedicando às várias vertentes de produção de livros cartoneros autopublicados. 


Com o lançamento de 'Sobre Livros Cartoneros' queremos incentivar que mais mulheres entrem na publicação independente e possam gerar sua renda própria com suas artes e escrita. Queremos que mais mulheres possam criar, escrever, produzir, editar e ilustrar livros por conta própria. Mas o que mais desejamos e estamos trabalhando para isso com o projeto "Cartoneras Populares" é que as mulheres possam ter acesso às ferramentas, técnicas e conhecimento práticos para conseguirem aprender a publicar seus livros de maneira independente.




Foto: As bibliotecárias Cícera Marília e Cida Martins de Juazeiro do Norte/CE na Oficina da Magnolia Cartonera em 2018


Para compor a iniciativa "Cartoneras Populares", nós entramos em contato com pessoas das mais variadas origens e caminhadas de vida. São artistas solo e coletivos bastante conscientes sobre o que é a realidade da publicação independente para pessoas que enfrentam sacrifícios financeiros diários. Nós buscamos artistas, professoras, bibliotecárias, educadoras, mediadoras de leitura, escritoras, revolucionárias, outsiders, pessoas do dia a dia que entendem o que é ser desfavorecido(a) financeiramente para além dos seus meios.



Foto: Mamãe participante linda com suas criações maravilhosas da Oficina Arte em Papelão realizada pela Magnolia Cartonera no Crato/Ceará em setembro de 2018 


São artistas cartoneras que se engajaram de forma responsável através de seus trabalhos para levar adiante os seus saberes para aqueles que mais precisam. Que estão trabalhando e contribuindo para conscientizar um público cada vez maior, de que é preciso valorizar a arte e a publicação independente originárias às margens da sociedade, feita por artistas periféricos, desconhecidos, anônimos, trabalhadores ou desempregados, pessoas que estão batalhando financeiramente, residentes de comunidades rurais, de comunidades ribeirinhas, de comunidades isoladas, de realidades não contempladas por projetos culturais e de educação.



Foto: Crianças da escola rural Josefa de Queiroz na Serra do Divisor (Acre) que participaram da oficina cartonera realizada pela bibliotecária Ana Cravo Obeltz, pela professora Marluce e equipe de funcionários do IFAC (Cruzeiro do Sul) na Amazônia Acreana.


São pessoas que assim como nós, se identificam como interessadas em valorizar a arte cartonera em meios onde as pessoas vivem em realidades financeiras difíceis, e que estão lutando para aparender a fazer suas artes e seus escritos serem valorizados tanto artisticamente quanto monetariamente. Nós vamos mostrar aqui no blog várias pessoas, iniciativas e projetos que estão se dedicando à arte cartonera e também dedicando-se às mais variadas publicações independentes e artesanais em seus diversos formatos e usos criativos.



Foto: Lia Margarida, Leila da Cozinha Ancestral e Marina Doudment da Juçara Cartonera abraçam as múltiplas possibilidades de caminhos, para promover no Maranhão o processo de criação e estímulo do potencial que cada pessoa tem para contar a sua história e registrar no suporte cartonera.

Com o projeto 'Cartoneras Populares' de incentivo à escrita, confecção artesanal e publicação independente, daremos destaque à diversidade dos trabalhos multiculturais que envolvem a produção de livros, zines e revistas. Daremos destaque aos trabalhos que fazem a fusão da prática de oficinas com o amor pelo incentivo à leitura e pelas bibliotecas. Projetos que valorizam ensinar as técnicas artesanais de encadernação de publicações para comunidades em extrema vulnerabilidade social. Daremos destaque às pessoas que realizam oficinas cartoneras em salas de aula, e também daremos destaque às produções de vídeos, de ilustrações e de artes. 

Em 2020 você vai conhecer através do blog Bibliotecas do Brasil e da Magnolia Cartonera, os projetos que estão trazendo novas ideias e conceitos para a arte cartonera, permitindo que as percepções em relação aos livros se modifiquem e evoluam. Que estão transformando a prática de fazer cartoneras ao abraçar novas formas de criação e de tecnologias, gerando um impacto diferente a cada nova obra publicada, a cada leitura feita, a cada oficina realizada, em cada nova editora cartonera que surge, que permanece ou que se transforma em novos projetos para além do papelão.



A importância de divulgar pessoas, projetos e fazer circular a informação e o conhecimento


Desde a criação do blog Bibliotecas do Brasil em 2012, a acesso à informação é a nossa prioridade. Por isso colocamos as ideias e práticas que pesquisamos e organizamos aqui no blog de maneira aberta e gratuita para que as pessoas que não podem no momento comprar nossos livros e zines, possam também fazer uso desse conhecimento.

O acesso ao conhecimento e às ferramentas que a educação proporciona devem estar ao alcance para qualquer pessoa que tenha o desejo de ampliar sua forma de ver o mundo e, ao fazer uso desse conhecimento, potencialmente melhorar a sua qualidade de vida. 

Esse acesso é fundamental em locais onde essas informações não são oferecidas à pessoas que vivem às margens dos centros com grande concentração de renda e serviços de educação de qualidade. A iniciativa 'Cartoneras Populares' vai acontecer simultaneamente em todas as nossas mídias sociais listadas aqui para você poder acompanhar. Escolha a sua favorita e nos adicione às suas redes.


Newsletter Expresso gratuita: inscreva-se aqui para receber
Facebook: Magnolia Cartonera | Bibliotecas do Brasil
Apoie esse projeto: compre nossos livros em nossa lojinha 


Foto: Priscilla Oliveira de Souza é de Manaus, é cientista social e artesã do papel. Dedicada a fazer livros artesanais, ela divulga seu trabalho no Instagram. Círculo das Afluências é o seu livro cartonero de poemas e ilustrações autorais. 

Além de mostrar o nosso trabalho artesanal feito com a Magnolia Cartonera no esforço de ampliar o conhecimento do público em geral para a cultura das publicações cartoneras, nós também vamos publicar artigos para dar destaque ao trabalho das mulheres que estão fazendo oficinas cartoneras, livros, bloquinhos, moleskines e cadernos artesanais ou se dedicando de alguma forma à arte de fazer livros. 
É o desejo da Magnolia Cartonera que mais mulheres entrem na publicação independente relatando suas experiências e conhecimentos, e que possam partilhar seus universos pessoais com mais leitoras e leitores.


Foto: A professora Danielle Barros é bióloga, trabalha como arte-educadora, divulga seu trabalho no Instagram, é escritora independente e também autora cartonera. Engajada nas questões sobre preservação ambiental e consumo consciente, Danielle acredita que a iniciativa das editoras cartoneras são importantíssimas e devem ser amplamente disseminadas, apropriadas na vida, na rua e em todos os lugares.


'Cartoneras Populares' vai dar destaque às mulheres que estão realizando pinturas em papelão, fazendo colagens e se dedicando à arte impressa das mais variadas formas, gerando renda através das suas artes e da publicação independente.
Nós também vamos mostrar o trabalho de mulheres revolucionárias, que estão levando o conhecimento e as possibilidades da publicação independente baseada em livros confeccionados com capas de papelão, para crianças, adolescentes, adultos e pessoas idosas em comunidades rurais, em comunidades isoladas, em favelas, em escolas, em bibliotecas, em salas de leitura e em diversos outros lugares que não são vistos, reconhecidos ou valorizados pelos circuitos 'tradicionais' de literatura.


Arte cartonera - arte que pertence ao povo

Foto: A professora Marluce e a bibliotecária Ana Paula Cravo do IFAC (Campus Cruzeiro do Sul) ensinam a arte cartonera para crianças de uma comunidade ribeirinha na Amazônia Acreana (outubro de 2019). 


Nós vamos buscar inspiração com as pessoas com quem já nos identificamos e temos uma conexão, principalmente aquelas que pensam como a gente, sobre ampliar o conhecimento a respeito das publicações independentes para as pessoas das diversas periferias e comunidades e que estão sistematicamente excluídas dos meios acadêmicos, literários e do mundo da arte.


Foto: Juliana Araújo é uma artista artesanal de Campinas/SP que faz encadernação com tecidos africanos para homenagear a sua ancestralidade. Em 2018 Juliana deu início ao seu ateliê de encadernação artesanal.



Foto: Estudantes que participaram da Oficina Arte em Papelão da Magnolia Cartonera no Sesc Crato/Ceará, setembro de 2018


Foto: Francisca de Jesus Ferreira é mediadora de leitura em São Paulo, trabalha na sala de leitura de uma escola, desenvolve ações de incentivo à leitura em seu trabalho e no Instagram. A Francisca também faz contação de  histórias, saraus, clubes de leitura com foco em escritoras negras e realiza oficinas e publicações de livros cartoneros.




Foto: Ary Pimentel é professor de literatura na UFRJ e criou a Ganesha Cartonera no Morro da Babilônia, uma das favelas mais antigas do no Rio de Janeiro. Como a Ganesha Cartonera tem uma relação super forte com a periferia foi importante para Ary sediá-la nesse território. Ary realiza oficinas cartoneras no Rio e no Ceará.

Durante 8 anos aqui no blog Bibliotecas do Brasil, buscamos inspirar nossas leitoras e leitores mostrando bibliotecas livres, bibliotecas comunitárias, projetos, ações e iniciativas de incentivo à leitura existentes em nosso país e em vários lugares do mundo. Nós publicamos livros falando sobre eles, fizemos rodas de conversa, palestras e ampliamos o conhecimento sobre bibliotecas e projetos de incentivo à leitura autônomos, criadas de forma espontânea através da vontade do povo.


Agora nós vamos incentivar a publicação independente através das cartoneras, mostrando as pessoas que já estão realizando seus trabalhos artesanais e dispostas a motivar ainda mais gente a começar a fazer suas próprias produções de livros, já que a arte cartonera é livre, está disponível para qualquer pessoa que quiser começar a praticá-la, e é uma arte que pertence ao povo.


'Cartoneras Populares' é um projeto multicultural que busca incentivar a produção de livros independentes escritos, produzidos, ilustrados, publicados e vendidos por mulheres 

Nós queremos que mais mulheres se sintam encorajadas a retirar das gavetas seus livros já escritos, mas que foram deixados de lado por causa das situações que ocorreram em suas vidas. Nós queremos que as mulheres comecem a ter uma nova visão sobre seus projetos literários e artísticos que foram deixados de lados. Queremos incentivar a esperança na publicação independente, e que mais mulheres que estão às margens possam enxergar suas possibilidades e lutar com suas próprias mãos e ferramentas. Queremos que as mulheres voltem a escrever se já tiverem desistido da escrita. E que novas autoras possam se sentir encorajadas a começar a publicar. A Magnolia Cartonera com a iniciativa 'Cartoneras Populares' e com o livro 'Sobre Livros Cartoneros' deseja encorajar e auxiliar no caminho para que mais mulheres possam capacitar suas habilidades artesanais e editoriais, para tocar em frente a realização do sonho de publicar livros por conta própria.


Cartoneras Populares na prática

Nós publicaremos regularmente durante o ano de 2020 novos artigos inéditos, fotos e vídeos ampliando o conhecimento das leitoras e leitores sobre as cartoneras e o trabalho artístico artesanal na publicação independente, feito por artistas outsiders que não fazem parte dos circuitos literários convencionais. Com essa iniciativa novas vozes artísticas e literárias serão ouvidas, conhecidas e ampliadas. 


Foto: Juliano Rocha, artista e co-criador da Magnolia Cartonera e do blog Bibliotecas do Brasil na oficina realizada no Sesc Crato/CE em 2018



Apoie escritoras, escritores e artistas artesanais

Esse artigo é de autoria de Daniele Carneiro e de Juliano Rocha da Magnolia Cartonera e do Blog Bibliotecas do Brasil 
Artes: Juliano Rocha (Magnolia Cartonera | Blog Bibliotecas do Brasil

Fotos: concedidas pelas pessoas e projetos que estão presentes no artigo, todas linkadas. Visite as páginas, ajude a divulgar o trabalho de artistas artesanais independentes.

*

sábado, 14 de dezembro de 2019

Sobre Livros Cartoneros: Dinheiro e Orçamento para fazer livros artesanais com capas de papelão


Dois assuntos muito importantes que eu fiz questão de desenvolver e abordar no livro "Sobre Livros Cartoneros" porque são extremamente necessários: Dinheiro e Orçamento. O livro vai te ensinar a fazer livros cartoneros com os recursos que você tem ao seu alcance. Principalmente se você é mulher (eu fiz esse livro pensando em você), precisa aprender a gerar a sua renda com a sua arte, com o seu trabalho artesanal e a se manter firme em seu ofício e não permitir que te façam acreditar o contrário disso.


Talvez você esteja pagando aluguel. Talvez esteja grávida ou tenha uma criança ou mais para sustentar. Talvez você esteja bancando seus estudos. Talvez tenha uma parceira ou parceiro a quem precisa ajudar com geração de renda. Talvez você tenha familiares ou pessoas próximas que dependam de você. Talvez esteja enfrentando problemas de saúde mental. Nós mulheres é que somos conhecedoras de nossas realidades.

E somos nós mulheres que temos que lutar diariamente contra o machismo em todos os lugares e ambientes. E muita gente quer nos ver empobrecidas, inclusive em nossa arte. Por isso, através da Magnolia Cartonera eu trouxe essas questões para o livro "Sobre Livros Cartoneros". É muito importante nos libertarmos e fazermos o que bem entendemos de nossa arte, inclusive gerar renda.


Eu quero que as mulheres entendam que é possível sim gerar renda e ganhar o próprio dinheiro com livros cartoneros, com a sua arte, com a sua escrita, com as suas poesias, com as suas histórias, com os seus desenhos, com os seus estudos, com as suas criações. E através da geração de renda com cartoneras é possível melhorar a sua vida e as vidas das pessoas que dependem de você. (Dani Carneiro - Magnolia Cartonera).


"Sobre Livros Cartoneros" foi lançado em agosto de 2019 pela Magnolia Cartonera que é uma produção artesanal de livros independentes, criada por Daniele Carneiro e Juliano Rocha do blog Bibliotecas do Brasil. 

O que você vai aprender com esse livro?

O livro tem 6 capítulos e eles abordam o maior número possível de temas que consideramos indispensáveis. Este é um aprofundado estudo sobre como fazer livros com capas de papelão com a Magnolia Cartonera, do jeito que nós fazemos. Fizemos aqui um ‘resuminho’ com os tópicos chave do livro, mas fique sabendo desde já que isto não é TUDO o que há de mais maravilhoso neste livro.

  • Práticas cartoneras
  • Como começar o seu aprendizado
  • Criação do livro cartonero - Escrita e planejamento do livro
  • Como fazer livros cartoneros com os recursos, orçamento e materiais que você tem ao seu alcance
  • Materiais e ferramentas necessários para cada etapa de confecção das cartoneras
  • Descrição e passo-a-passo ilustrado de TODAS as etapas de confecção dos livros cartoneros
  • Identidade Visual - Elementos básicos da identidade visual de um livro cartonero e muitas outras dicas importantes que você só consegue com quem já tem experiência de anos de trabalho com arte cartonera
  • Como vender cartoneras e gerar renda com elas
  • Dicas de segurança em sua prática
  • Você também vai ler sobre a criação da Magnolia Cartonera, sobre a nossa história e sobre várias de nossas experiências com publicações independentes.

- Sobre Livros Cartoneros é de autoria de Daniele Carneiro com artes de Juliano Rocha e está à venda em nossa loja online nesse link.

Texto e fotos: Daniele Carneiro (Magnolia Cartonera)
Arte: Juliano Rocha (Magnolia Cartonera)
contato@bibliotecasdobrasil.com

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Democratização da leitura através das bibliotecas livres e informais


As bibliotecas livres e informais são muito importantes para a democratização da leitura já que elas fazem os livros chegarem a lugares, pessoas e situações que infelizmente não são contempladas com acesso facilitado aos livros e à leitura.

Além de serem projetos de incentivo à leitura bastante prazerosos de colocar em funcionamento, elas são anti-burocráticas e não geram empecilhos como a apresentação de documentos e o comprovante de residência, que acaba por excluir muitas pessoas da convivência com os livros - como pessoas de passagem, turistas, não-residentes, estrangeiros e principalmente, pessoas em vulnerabilidade social.

As bibliotecas livres são uma maneira autônoma de gerar acesso facilitado ao livros, encorajar a leitura, e transformar essa relação com os livros mais íntima das pessoas que estão excluídas das realidades de livrarias e espaços de leitura tradicionais. Elas são uma via alternativa para abraçar mais gente com livros, leitura e conhecimento.

Imagem do livro "Ideias para Bibliotecas Livres"

Em tempos de obscurantismo, em que a educação está sendo cada vez mais dilapidada, engajar-se com bibliotecas livres e comunitárias para as pessoas, pelo simples prazer de aproximá-las dos livros e dos saberes e incentivá-las à leitura pelo prazer, são atos revolucionários.


Os livros "Guia Prático para Bibliotecas Comunitárias" e "Ideias para Bibliotecas Livres" são livros cartoneros, feitos com capas artesanais confeccionadas com capas de papelão, pintados e costurados à mão. Nós publicamos esses livros para partilhar as nossas experiências com projetos de incentivo à leitura e bibliotecas informais. Eles são uma ótima maneira de começar, de se situar no assunto, ter uma ideia de vários detalhes, e aprender a fazer um projeto autônomo, independente e com os recursos que você tem ao seu alcance. São leituras muito importantes que com certeza irão te ajudar no seu projeto de partilha de livros.

O Guia Prático para Bibliotecas Comunitárias está disponível em nossa loja online por R$30 +R$5 de frete fixo para todas as cidades do Brasil. 

E o livro Ideias para Bibliotecas Livres está disponível por R$25 + R$5 de frete (também fixo).


Acesse | Conheça o nosso trabalho | Apoie artistas artesanais independentes: loja.bibliotecasdobrasil.com

Fotos: Daniele Carneiro - Magnolia Cartonera
Ideia para Bibliotecas Livres é de autoria de Daniele Carneiro e Juliano Rocha

domingo, 1 de dezembro de 2019

Livros da Magnolia Cartonera vão entrar para o acervo da Georgetown University Library em Washington, D.C.

Livros que seguiram para a Georgetown University Library

Fico muito emocionada em contar que os nossos livros cartoneros continuam seguindo firmes e fortes para as universidades norte-americanas. Eles são colocados nas coleções especiais de livros latino-americanos raros e ficam à disposição de alunas, alunos, professores e professoras e comunidade frequentadora das bibliotecas para estudos, leituras e pesquisas. Em algumas bibliotecas eles podem ser emprestados e em outras, eles ficam para consulta e leitura somente na biblioteca. Esses 3 exemplares do "Guia Prático para Bibliotecas Comunitárias", "Bibliotecas Mudam o Mundo" e do livro "Eles Chegaram!/No Terminal" estão seguindo para a Georgetown University Library em Washington D.C.

Essa é a primeira vez que temos notícia dos nossos livros seguindo para Washington. É simplesmente incrível e maravilhosa a sensação de ter um pouco dos nossos pensamentos e ideias viajando para universidades tão relevantes, e o mais impactante, ter o nosso trabalho preservado para o futuro, para as próximas gerações de estudantes e pessoas apaixonadas pela nossa cultura. Eu tenho um carinho enorme por cada bibliotecária e bibliotecário norte-americanos que simpatizam com os nossos livros e compram eles. É realmente emocionante. Agradeço com um abraço gigante mesmo que de longe. ⭐💜🤩😍 |

Foto e texto: Daniele - Magnolia Cartonera | Bibliotecas do Brasil
contato@bibliotecasdobrasil.com

LIVROS CARTONEROS

O que são


O começo

O movimento cartonero nasceu na Argentina em meio à uma crise econômica no começo dos anos 2000. Com a falta de dinheiro para a produção e impressão, vários artistas independentes começaram a produzir livros por conta própria, de forma artesanal, impressos em pequenas gráficas, reutilizando papelão para a confecção das capas, que geralmente são pintadas uma a uma e costuradas, possibilitando dessa forma livros com capas únicas.

Cartoneras

A palavra cartonera veio da palavra 'cartón' que é o papelão em espanhol. Cartoneras e cartoneros são as pessoas que trabalham recolhendo materiais recicláveis e principalmente papelão nas ruas de Buenos Aires. Há muitas editoras cartoneras que trabalham na edição de livros escritos por catadora(e)s de recicláveis ou compram papelão que é coletado por essa(e)s trabalhadora(e)s.

Liberdade

Os livros cartoneros valorizam a autonomia e a liberdade de artistas que atuam conforme a sua realidade, a sua escrita, a sua ideologia e o local onde vivem, geralmente fora das já consolidadas e demarcadas cenas literárias. Eles são também uma ferramente poderosa para ampliar o trabalho de autoras e autores que estejam interessados em publicar seus escritos imediatamente. As editoras cartoneras são uma via para quem deseja trilhar um caminho alternativo, sem a necessidade de buscar as editoras tradicionais.

Independência

Fazer um livro cartonero além de ser uma atitude de independência é também um ato de resistência, onde os artistas têm a oportunidade de seguir adiante de uma forma alternativa, mesmo quando enfrentam situações difíceis - como o exemplo da crise econômica argentina.

Voz

Como a internet dá voz para todas as vozes, os livros cartoneros dão voz à todas as pessoas, sejam elas escritoras, poetas e artistas, que fazem dessas publicações um meio para queseus trabalhos sejam conhecidos. Hoje em dia existem editoras cartoneras em vários cantos do mundo, e de maneira criativa utilizam as mídias digitais e gráficas para realizarem seus trabalhos.

Acessível

Livros cartoneros proporcionam liberdade para escolher qualquer tema ou linguagem que possa ser impressa pintada e colada entre as capas de papelão. O mundo cartonero possui um perfil igualitário, você é livre para expressar sua criatividade no meio impresso. Qualquer pessoa pode publicar de forma barata e com poucos recursos tecnológicos e dessa forma ter suas criações apreciadas.

Contato

Fale com a gente


Localização

Portão - Curitiba/PR - Brasil

Email

contato@magnoliacartonera.com